“Não se compara ao Carnaval”, afirma Tereza Paim sobre público nos estádios

A secretária interina da Saúde do Estado, Tereza Paim, comentou sobre a comparação do público nos estádios – que atualmente está permitido até 70% – com o do Carnaval. A realização da festa em 2021 depende de uma audiência com o governador Rui Costa (PT), de acordo com o prefeito Bruno Reis (DEM).

“Quando a gente fala de Carnaval na Bahia, a gente fala de uma abrangência de milhões de pessoas. No geral, os estádios são completos por munícipes com torcida única e uma cobrança efetiva do passaporte da vacina. Então, óbvio que a gente torce, mais do que os torcedores, que os 70% das pessoas que vão para os estádios não fiquem aglomerados, essa é uma questão cultural”, pontuou, durante coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (29).

Além disso, ela ressaltou que não se compara ao Carnaval e que isso deve ficar evidente. “Uma segunda questão é que o Carnaval é em fevereiro, nós estamos em novembro. Mesmo que as pessoas precisem estar contratadas e mobilizadas, nós não podemos falar sobre o Carnaval ainda. A gente está vendo a chegada de uma nova variante que a gente não conhece ainda. Então, tudo isso é muito precipitado para já está se discutindo e pondo a prova a gestão que quer cuidar da saúde”, completou.

Questionada por um jornalista sobre a decisão do prefeito Bruno Reis de cancelar a realização do Festival da Virada em 2021, Paim disse que foi a decisão correta. “Eu acredito que sim, nesse momento que a gente tem a chegada de uma nova variante possível ou não, o Brasil ainda não tem casos, só tem um caso suspeito. Eu acho importante que os gestores, que são responsáveis pela saúde, cuidem das pessoas”, finalizou.   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.