5 mitos sobre cães grandes em ambientes pequenos

Quando pensamos em uma família brasileira, é comum imaginar um cão ao lado das pessoas. Os animais sempre tiveram seu espaço, e vem ganhando ainda mais após a pandemia em imóveis grandes, médios e pequenos.

Raças de cães como o Shitzu, os Pugs e o Yorkshire se tornaram populares por seus tamanhos, mas e os cães de médio e grande porte?

Existe um mito que esses animais não podem ser criados em ambientes como apartamentos e casas menores.

Com a popularização desse tipo de imóvel, raças como o Labrador, o Husky e os Boxers se tornaram ainda mais marginalizadas.

Mas afinal, não é mesmo possível que eles sejam criados de forma saudável nesse espaço? Abaixo, você confere alguns mitos sobre esse tema!

O cão não se adapta ao espaço

Os cães são os animais domésticos mais antigos que conhecemos. Sua relação com os humanos começou a milhares de anos atrás, no início da domesticação, e perdura até os dias atuais.

mitos sobre caes grandes em ambientes pequenos
Foto de Dominic Buccilli

Tendo isso em mente, é possível imaginar as dezenas de adaptações pelas quais o animal passou. Desde a alimentação até os cuidados básicos e o espaço oferecido nas casas.

Os cães se tornaram extremamente adaptáveis. Por isso, é um mito pensar que um cão de médio ou grande porte não conseguirá se acostumar a um ambiente um pouco menor.

Os vizinhos vão reclamar do animal

Essa é uma preocupação constante, principalmente para quem mora em prédios ou condomínios residenciais que tornam o contato com a vizinhança ainda mais próximo.

O grande preconceito com o porte dos cães, entretanto, pode antecipar um problema que nem irá acontecer.

Nesses casos, é importante manter um diálogo aberto com os vizinhos. A dica para combater esse mito é informar aos moradores da presença do cão e até mesmo apresentar o animal, mostrando que o seu tamanho não é um problema.

Lembre-se, o preconceito pode surgir muitas vezes pela falta de informação e conhecimento dos demais.

O cachorro não vai conseguir gastar energia

Gastar energia é importante para a saúde e bem-estar de qualquer animal. No caso dos cães de grande porte, isso não é diferente.

Entretanto, o mito que a energia é sempre proporcional ao tamanho faz com que essa seja uma preocupação extra para os tutores.

É importante lembrar que o nível de energia pode variar por conta da raça, da criação e até mesmo da personalidade de cada animal.

Cabe ao seu dono estipular brincadeiras, passeios e outras formas de incentivar o cão a se manter ativo, gastando toda a sua energia ao longo do dia.

O espaço não será suficiente

O espaço é, com certeza, o problema mais evidenciado para os cães de grande porte. A verdade é que o tamanho não é necessariamente um problema, desde que o cão tenha suas necessidades supridas de alguma forma.

Nomes de cachorro fêmea: os mais populares
Cachorro fêmea – Foto do Pexels

Manter uma rotina de passeios, brincadeiras e saídas do imóvel é essencial para oferecer qualidade de vida nesses espaços.

Após gastar energia, com certeza o pet estará mais preocupado em descansar na sua cama ao invés de correr por todo o espaço reduzido.

Um cão grande dá muito trabalho nesses espaços

Esse é mais um mito ligado ao preconceito com cães de médio e grande porte. Afinal, só esses animais precisam de cuidado e atenção às suas necessidades?

Sabemos que independentemente do tamanho do imóvel e do animal, os pets demandam dedicação dos tutores e ocupam um espaço em suas rotinas.

Portanto, é preciso ter em mente que os cães de grande porte darão sim trabalho, mas não porque são grandes ou o espaço é reduzido.

Os animais dão trabalho porque possuem suas necessidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *